sábado, 3 de fevereiro de 2018

Sandra - Ribeira da Basagueda, Beira Baixa.

"Uma coisa aprendi na vida. Quem tem medo da infelicidade, nunca chega a ser feliz."
 (Mia Couto)

Esta Ribeira situa-se na Reserva Natural de Serra da Malcata que se distribui pelos concelhos de Sabugal e Penamacor.
Aqui, reina a calma, bem como o horizonte sem fim e os aromas da natureza!
Foi nesta ribeira que estas pedras foram encontradas, pintadas com tinta acrílica e formaram este presépio engraçado.




segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

José Carlos Almeida – S. Pedro do Sul

Toda a natureza é uma harmonia divina, sinfonia maravilhosa que convida todas as criaturas a que acompanhem a sua evolução e progresso.”
(Tsai Chih Chung)

O caniço é frequente nos locais húmidos como lagos e lagoas da Beira Litoral. Possui semelhanças físicas com a exótica e invasora “cana” - Arundo donax, embora tenha menores dimensões.
O caniçal constitui um habitat de grande importância para a fauna, fornecendo abrigo, alimento e local de nidificação. O rouxinol-dos-caniços deve o seu nome precisamente à estreita relação que mantém com este habitat.

O caniço é talvez a planta mais usada no tratamento de águas residuais, devido à sua capacidade de remover poluentes orgânicos, metais pesados e hidrocarbonetos.
Este presépio foi confeccionado com folhas de caniços e cortiça e está amoroso.





Entre arte e engenho – Vila Real


A arte diz o indizível, exprime o inexprimível, traduz o intraduzível.”
( Leonardo da Vinci)


A idade dos metais, teve grande importância para o cultivo agrícola e para a caça! 
O primeiro tipo de metal utilizado foi o cobre. Seguiu-se a utilização do estanho na fabricação de outros tipos de armas e utensílios. E, por volta de 3000 a. C, com a junção desses dois metais (cobre e estanho) apareceu o bronze. O ferro só apareceu em 1500 a. C!

Dessa maneira, o que realmente acontece é que através de técnicas de fundição esses povos pré -históricos vão gradualmente substituindo as ferramentas, que até então eram elaboradas com madeira e pedra, por ferramentas de metal, aumentando a produção de alimentos.

Este presépio usa diversos tipos de metais, como : o latão, a folha-de-flandres, aço e soldadura em estanho. Mede apenas 4 cm e está um encanto. É da autoria de Vítor Manuel Santos.



quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Luís Daniel Almeida – Canas de Senhorim

“Somos feitos de carne, mas temos de viver como se fôssemos de ferro.”
(Sigmund Freud)

O ferro (do latim ferrum) é um elemento químico, cujo símbolo químico é Fe. É um dos elementos mais abundantes do universo, tendo dado o nome a um período da História, a Idade do Ferro, por volta de 1200 a.C!
Este presépio foi executado neste nobre metal.


Maria Simões - Oliveira de Azeméis

"Sucesso não é o final, fracasso não é fatal: é a coragem para continuar que conta.”

(Winston Churchill)


Este presépio foi executado em crochet e argila.



quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Ricardo Rodrigues – Lisboa

 "A alegria evita mil males e prolonga a vida."
(William Shakespeare)

Desde a pré-história, os tecidos foram fundamentais para a história do homem. No Egipto, os faraós eram embalsamados com o linho, símbolo de poder e riqueza.

A Índia e a Etiópia lideraram as primeiras peças tecidas de algodão. Antes conhecido como “lã de madeira”, “lã de árvore” e “ouro branco”, o algodão tornou-se a fibra mais usada do mundo. As margens do Rio Nilo, o clima e o solo são ideais para essa cultura. Assim, o Egipto conquistou um capítulo à parte na história dos tecidos.

Entre os séculos XI e XV, o tecido de algodão estampado nascia no Oriente, antes do surgimento das telas indianas estampadas. Em 1498, quando o navegador Vasco da Gama ancorou na Índia, encontrou tecidos de puro algodão estampados com motivos florais e arabescos. Ao retornar a Portugal, levou os coloridos tecidos para a Península Ibérica, junto com porcelanas, sedas e especiarias. 
Este presépio é pintado num tecido de algodão e está muito engraçado. 





segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Alca - Ourém

O metal mais forte é forjado na chama quente. “
(Laurel Lance)

O estanho (do latim stagnun vulgarizado para stannun na Idade Média) é um dos metais conhecidos há mais tempo, e foi usado como um dos componentes do bronze desde a antiguidade.!

 As fontes clássicas de estanho conhecidas do mundo antigo são a Cornualha, Portugal, Sul de Espanha, Nigéria, Uganda, Bohemia, Sibéria.
Acredita-se que a mineração do estanho tenha -se iniciado na Cornualha e Devon  em épocas clássicas, desenvolvendo um próspero comércio de estanho com as civilizações do mediterrâneo.