quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Luís Santos - V.N. Gaia

A arte é a contemplação; é o prazer do espírito que penetra a natureza e descobre que a natureza também tem alma.” 
(Auguste Rodin)

Estudiosos confirmam que a cerâmica é a mais antiga das indústrias! Ela nasceu no momento em que o homem começou a utilizar o barro endurecido pelo fogo! Desse processo de endurecimento, obtido casualmente, multiplicou-se. A cerâmica passou a substituir a pedra trabalhada e a madeira.

A Bíblia afirma no Livro de Génesis que Deus formou o homem do pó da terra.

Liderados pelo professor de engenharia biológica e ambiental Dan Luo, o estudo indica que alguns tipos de argilas facilitaram a formação de moléculas orgânicas que tornam possível a vida no planeta. Essa argila contém uma série de minerais, como alumínio, silício e oxigénio, e sua composição forma uma substância chamada “hidrogel".
Trata-se de um polímero que forma um conjunto de espaços microscópicos capazes de absorver líquidos, tais como uma esponja, em que são produzidas as reacções químicas para a síntese de proteínas, DNA e as células vivas.

As primeiras cerâmicas que se tem notícia são da Pré-História: vasos de barro, sem asa, que tinham cor de argila natural ou eram enegrecidas por óxidos de ferro.

A partir do século XVIII, introduziu-se a moda dos presépios, surgiu a multidão de bonecos de barro, imagens de Cristo, da Virgem, abades, de santos e de anjos.
E a cerâmica foi proliferando e o número de artesãos aumentando, até aos nossos dias!

Falta apenas partilhar a foto deste bonito presépio.


quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Cruz com presépio

"Não existe meio mais seguro para fugir do mundo do que a arte, e não há forma mais segura de se unir a ele do que a arte." 
( Johann Goethe)

O nome Marfinite surgiu quando os imigrantes passaram a produzir bolas de bilhar de plástico, com peso e medidas oficiais e que substituíram as caras bolas importadas de marfim!

As imagens religiosas são na sua grande maioria feitas em marfinite, usando moldes de gesso e borracha, sendo todo o acabamento feito à mão, o que torna cada peça única.

Apresento-vos este pequeno presépio feito em pó de marfim!


Priscila Almeida - Porto

     "Apreender é a única coisa que a mente nunca se cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende. "(Leonardo da Vinci)

Polimer clays são massas feitas à base de compostos plásticos (polímeros).
Este presépio é neste material. 




quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Artesanato da Clarinha - Castelo Branco

"Nenhum elemento tem, por si, peso ou leveza. O movimento origina-se do facto de que o que é mais fino, não pode resistir ao mais denso."
 (Leonardo da Vinci)

É possível que o nome da cidade - Castelo Branco - tenha a sua origem numa confusão entre duas cidades - Pyrgileucos e Cattaleucos – que segundo Ptolomeu, foi fundada por colonos cartagineses em 504 a.C.
Castelo Branco terá tido a sua origem no local de um castro pré-romano. No início do séc. XII existia uma povoação no cimo da Colina da Cardosa, em cuja encosta se desenrolou o povoamento da vila.
É sede do terceiro maior município português!
Foi considerada em 2006, num estudo elaborado pela DECO, a segunda capital de distrito do país com melhor qualidade de vida.

Foi nesta bonita cidade que este íman foi elaborado. É em barro e está bem engraçado!


terça-feira, 25 de julho de 2017

Bruno Lima - Alfena

"Talento é paciência sem fim."
(Gustave Flaubert)

A palavra papel vem do latim papyrus , uma planta que cresce nas margens do rio Nilo no Egipto, da qual se extraia fibras para a fabricação de cordas, barcos e as folhas feitas de papiro para a escrita.
 O papel foi descoberto por volta de 3000 anos a C, no Egipto. 

A cartolina  vem do Latim charta, do Grego khartes,  e significa “folha de papel.”
É produzida a partir da composição de celulose branqueada de fibras curtas e aparas brancas e coloridas cujas principais características são maleável, leve, superfície lisa, estabilidade dimensional e resistência das cores à luz. 

Resta apresentar-me este bonito presépio feito em cartolina e dentro de um frasquinho de vidro. 


Bruno Lima - Alfena

"Toda a obra de arte é uma personalidade. O artista vive nela, depois dela ter vivido longo tempo dentro dele."
(Vargas Vila)

A crença mais difundida é que muitos povos antigos relacionavam o ovo a um símbolo do início da vida.
Nas regiões mais frias, o ovo também era o símbolo do início da primavera, onde surgia vida nova. Para obterem os benefícios dos "Deuses das Colheitas", os agricultores enterravam ovos nas suas terras.
Esta celebração pagã de festejar a Primavera diluiu-se mais tarde nas celebrações da Páscoa e da Semana Santa, que assinalam a morte e ressurreição de Jesus.
 Nessa altura, o ovo passou a transportar consigo o simbolismo do renascimento de Cristo.

Começaram a pintar-se ovos de galinha, de cores garridas, para festejar. A arte de colorir e decorar ovos na Páscoa desenvolveu-se muito na Europa de Leste.

 Os ortodoxos em particular especializaram-se em fazer verdadeiras obras de arte.

Da Rússia à Grécia, existe a tradição de pintar os ovos de vermelho, representação do sangue de Cristo.

Presenteio-vos com este ovo de gansa esculpido com o presépio e a visita dos reis magos. Está um trabalho sublime e encantador.

Frente do ovo:


Verso do ovo: 





sábado, 22 de julho de 2017

Delfim Manuel - Rebordões - Santo Tirso

O barro toma a forma que você quiser, você nem sabe estar fazendo apenas o que o barro quer.”
(Paulo Leminski)


Este ceramista vive em Santo Tirso e é conhecido pelas belíssimas peças que executa.
A forma como combina perícia e delicadeza de trabalhar o barro, não deixa ninguém indiferente!

Foi fundador e é mentor da Confraria do Caco, condição que aumentou a sua esfera de influência.
Recebe imensos prémios, a nível nacional e internacional, factos que a imprensa regista de forma expressiva.

Resta-me apresentar a foto do presépio.