quarta-feira, 13 de junho de 2018

Helena Mesquita – Porto

"Arte é o prazer de um espírito que penetra na natureza e descobre que também tem alma."
 (Auguste Rodin)


A autora deste presépio criou umas simpáticas criaturas, os Helenos. Vou transcrever a origem destes   descrito pela autora:

"Antes de habitarem a terra, os Helenos viviam no subsolo. Foi apenas aquando do aquecimento que subiram aos bosques, planícies e desertos deste planeta. 
São alegres, as traquinices são uma constante, mas também tolerantes sensíveis, carinhosos, e amigos do próximo.
A interajuda está sempre no seu quotidiano. Outra característica comum a todos eles é o respeito pela natureza, são vegetarianos e adoram compotas.
São pequenos seres que tem umas características específicas que os diferenciam de todas as outras criaturas, só têm 4 dedos nos pés e mãos relativamente grandes e com uma estatura pequena.”

Este presépio tem estas simpáticas criaturas, está muito amoroso e faz parte da minha colecção!



Carlos Nazareth - Cartaxo

No momento em que uma criança nasce, a mãe também nasce. Ela nunca existiu antes. A mulher existia, mas a mãe, nunca. Uma mãe é algo absolutamente novo.”
(Osho)


Este presépio foi criado pelo autor há mais de 30 anos!

 O autor sonhou que esta imagem lhe apareceu em sonho e às 3:00 da manhã, acordou e continuou a vê-la à sua frente. Levantou-se e começou a trabalhar. Ás 7:00 a peça estava concluída!

Quando a filha do autor ,Teresa, viu a peça disse: “ Ó pai, fizeste a alma”. E assim o autor passou a chamar a esta mãe a ALMA, até hoje!

Já vendeu alguns milhares e algumas pessoas têm fé nesta mãe que veneram nas suas casas e o autor sente muita gratidão por ter sido através de si que esta figura querida apareceu!

 Esta escultura está encantadora e transmite o perfeito elo de ligação com a “Mãe do Céu”. O grande manto de Maria Abraça o mundo.
O Menino Jesus colocado no interior da Mãe transmite bem o significado de ternura e da maternidade. E de perfeição!

É a peça mais vendida do autor e tem toda a razão de assim o ser!

Um exemplar faz parte da minha colecção!







terça-feira, 5 de junho de 2018

Quartzos - Barral - Ponte da Barca

Não existe um caminho para a paz. A paz é o caminho.” 
(Mahatma Gandhi)


O Santuário de Nossa Senhora da Paz dá expressão ao pedido de Nossa Senhora, feito a 11 de maio de 1917 e indicado ao pequeno Severino Alves, de dez anos de idade, filho de uma pobre e virtuosa viúva, e irmão de mais outros seis, todos eles muito tementes a Deus. : “Diz aos pastores do monte que rezem sempre o terço, que os homens e mulheres cantem a ESTRELA DO CÉU, e se apeguem comigo, que hei-de acudir ao mundo e aplacar a guerra”.

  A Capela de Nª Sª da Paz foi erguida uma capela, em 1969, e uma cripta, construída em cima do maior bloco de quartzo cristalizado que existe em Portugal, que todos os anos [na peregrinação que acontece no último domingo de maio] se enche de crentes nas aparições de Nossa Senhora da Paz, que, no entanto, nunca foram reconhecidas pela Igreja.

O Santuário de Nossa Senhora da Paz defende, então, a mensagem do acontecimento ocorrido a 10 e 11 de maio de 1917 e é missão deste Santuário a análise e a divulgação desta mensagem de paz, como meio de evangelização em Portugal e no mundo.

Aqui fica a foto de um pequeno presépio elaborado com quartzos.




quarta-feira, 30 de maio de 2018

Arte Velha - Golegã

Aquilo que pedimos aos céus, na maioria das vezes, encontra-se nas nossas mãos.”
(William Shakespeare)

A cruz é amada e respeitada por milhões de pessoas. A palavra cruz em grego (staurós) significa “poste ou estaca”.

A cruz está presente tanto na cultura pré-cristã como na cultura não cristã!”
Várias outras autoridades no assunto têm ligado a cruz à adoração da natureza e aos rituais do sexo praticados pelos pagãos!

A cruz teve a sua origem nos tempos de Ninrode, o rei que construiu a torre de Babel! 

O “T” da inicial do nome Tamuz, foi o símbolo mais antigo, que deu origem a cruz conhecida nos dias de hoje!

 Os povos primitivos também adoravam o fogo como deus, e o símbolo do fogo era duas varinhas cruzadas em forma de “X”, que sendo friccionadas uma na outra, tinha o poder de fazer surgir o seu deus: fogo.

“Entre os Celtas a cruz tornou-se cultuada muito antes de Cristo, e na Índia era o sinal do Fogo Sagrado, respeitado como Divindade, Potência Superior e Origem da Vida”.

Falta partilhar a foto deste engraçado presépio:



quarta-feira, 23 de maio de 2018

Cantinho do artesanato - Anabela Charneca


"Não durmo para descansar... Simplesmente durmo para sonhar!”
 (Walt Disney)

O homem pré-histórico deitava e dormia sobre o próprio chão!

Os registos mais remotos do uso de camas, foram encontrados nas civilizações egípcia e mesopotâmica!
Os egípcios, por exemplo, utilizavam espécies de camas dobráveis de madeira: e era destinado apenas aos faraós e seus altos funcionários!

Na civilização romana, passaram a adoptar camas semicirculares, postas em redor de mesas, pois costumavam fazer as refeições nos próprios leitos!

Foi só na Idade Média que as camas começaram a ser colocadas em aposentos mais privativos, como os quartos!
 Devido ao inverno rigoroso, os europeus adoptaram uma protecção que os persas já haviam desenvolvido anteriormente: o dossel!

 Já as camas de ferro começaram a ser produzidas a partir do século XVIII, com uma forte propaganda de que finalmente as pessoas poderiam dormir sossegadas, sem o incómodo de insectos.

Esta caminha é feita em madeira pelo pai da autora e está muito querida! José e Maria entrelaçam as mãos e o Menino Jesus está no meio Deles. Está muito amoroso este presépio!





quinta-feira, 17 de maio de 2018

Ester Andrade - Viseu

"Rega as tuas plantas,
 Ama as tuas rosas. 
O resto é a sombra. 
De árvores alheias."
(Fernando Pessoa)

Existem cerca de 750 espécies de figueiras no mundo!
Os faraós levavam figos secos às campas para alimentar as almas !
Além disso, acreditavam que a deusa Hathor surgiria de uma figueira mítica para dar as boas-vindas ao paraíso!

O rei Nabucodonosor II plantou várias figueiras (Ficus carica) nos jardins suspensos da Babilónia.

O rei Salomão, de Israel, homenageou-as com músicas!

Os gregos e romanos antigos diziam que os figos eram um presente dos céus.

Na ilha de Krakatoa, na Indonésia, a vida foi extinta em 1883, logo após a erupção de um vulcão. Os figos foram excelentes veículos para estimular a formação de áreas arborizadas novamente.


Os Barbados e a Indonésia têm nos seus brasões uma réplica desta árvore!

 

Este presépio foi executado com madeira de figueira, rancos secos e xisto. Está muito amoroso.









Ester Andrade - Viseu


Já chorei ouvindo música e vendo fotos. Já liguei só para escutar uma voz! Já me apaixonei por um sorriso. “
(Charlie Chaplin)


Este presépio foi executado com massa modelar italiana e pintada com viochene para lhe dar um ar mais envelhecido.